Alzheimer: vira-lata acompanha dono que estava desaparecido até serem encontrados pela família em MT


Idoso e seu cachorro

Idoso e animal estavam desidratados — Foto: Luan Poquiviqui Garcia/ Arquivo pessoal


Francisco da Rocha Garcia, de 68 anos, disse que ganhou um espetinho de carne na rua e dividiu com o animal até ser encontrado pela família. O dono e o animal estavam desidratados, segundo a família.


O idoso Francisco da Rocha Garcia, de 68 anos, que tem Alzheimer e estava desaparecido desde segunda-feira (21), após ter saído de casa para passear com a cadela de estimação dele, foi encontrado pela família nesta quarta-feira (23), na Avenida das Torres, em Cuiabá.


A cadela, chamada de Belinha, o acompanhou durante todos os dias em que ele esteve desaparecido.

Francisco disse à família que ganhou um espeto de carne na rua e dividiu com o animal até ser encontrado pelos parentes.


O idoso saiu da casa onde mora com a família, no Bairro Altos do Parque I, em Cuiabá, para passear com o cachorro na segunda-feira, sem avisar ninguém.


Segundo o filho dele, Luan Poquiviqui Garcia, o idoso tinha o costume de passear com o animal, mas, há cerca de 3 meses, quando o Alzheimer foi descoberto, a família não permitia que ele saísse sozinho.


“Meu pai saiu para passear com ela depois que minhã irmã foi a uma consulta no hospital. Os dois foram encontrados bem, ficaram muito felizes ao ver a família”, contou.


Luan disse que o pai foi visto por um taxista que trabalha na região e avisou a família. “O taxista o viu ontem (22), mas procuramos e não encontramos. Hoje de manhã, ele o viu novamente e nos ligou, então fomos até o local”, disse.


O idoso e a cadela dele estavam desidratados, segundo a família. No entanto, os dois já foram alimentados e estão bem.


“Ele está apenas um pouco confuso, mas está bem. Nem ele, nem o animal tinham ferimentos”, ressaltou.


Francisco e Belinha


Francisco e a cadela Belinha são companheiros há mais de três anos, segundo a família. Luan disse que os dois sempre foram apegados um ao outro e que os passeios entre eles aconteciam frequentemente antes da Alzheimer ser descoberta.


Belinha foi abandonada na rua ainda quando era filhote, segundo Luan.

“Vimos ela perdida e então resolvemos adotá-la. Ela parou na nossa casa e não foi mais embora”, contou.


Por G1 MT

Em: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019/01/23/vira-lata-acompanha-dono-com-alzheimer-que-estava-desaparecido-ate-serem-encontrados-pela-familia-em-mt.ghtml

Método mpant®
LogoNovoTransparente.png
Blog9.png

© 2017 por mpant®